CLASSIFICAÇÃO DAS ARMAS QUANTO AO FUNCIONAMENTO

Armas antecarga

Possuem a culatra fechada. A carga e o projetil são carregados pela boca. Podem ser de pederneira ou usar espoleta. Algumas possuem um pequeno ferrolho para se inserir a espoleta.

É possível encontrar cargas moldadas para estas armas, aumentando significativamente a velocidade de recarga.

As pistolas de duelo são um exemplo destas armas assim como os antigos fuzis Hawken (1820).

Armas de tiro simples

Armas de tiro simples podem ser articuladas ou possuir um sistema de abertura tipo bloco deslizante, cunha vertical, ferrolho ou outro para abrir a culatra e permitir o carregamento manual.

Os famosos – “doubles” (duplo em inglês) são armas articuladas de dois canos. Eles são normalmente encontrados nos maiores calibres e utilizados para caça de animais perigosos. Estas armas são consideradas as mais velozes quando se necessita emendar dois tiros. Elas acabam sendo mais curtas por não possuirem o espaço longitudinal do carregador, porém são mais pesadas em razão de possuirem dois canos.

Os “doubles”, dependendo da marca, costumam estar entre as armas mais caras do mercado. A disposição dos canos pode ser “lado a lado” ou “sobrepostos”. As espingardas articuladas costumam ter os canos sobrepostos, o que facilita a produção e precisão, já os fuzis de caça articulados clássicos possuem os canos lado a lado. 

Outro tipo de arma longa articulada possui três canos. São os chamados “Drillings” (terceiro em alemão), normalmente dois canos de alma lisa e um terceiro cano localizado no vão dos dois primeiros de alma raiada.

As armas curtas de tiro simples são conhecidos por pistoletes ou garruchas.

Armas de repetição

As armas de repetição possuem um ferrolho acionado por ação manual do atirador. Estes ferrolhos podem ser acionados:

  • indiretamente por alavancas junto ao gatilho – “lever action”, um exemplo são as famosas carabinas Winchester ou pela parte anterior da coronha – “pumps”, um  exemplo são algumas linhas de carabina (Gallery) e as famosas espingardas “punheteiras” e revólveres.

  • diretamente por ferrolhos de rotação ou de puxada reta, como é o caso da maior parte dos fuzis e carabinas de caça e precisão desde de os menores calibres até os mais pesados.

A “ação” está entre as partes mais importante destas armas, como existem diferentes tipos de ação em uso, é importante estar atento ás características de cada uma. Alguns pontos que devem ser considerados na seleção:

  • Extração: é importante que o extrator tenha uma área grande de contato com a virola do estojo para permitir a extração de estojos que ficam presos na câmara.
  • Ejeção: alguns ejetores ficam no próprio ferrolho e outros na ação. Os ejetores que ficam no ferrolho vão ejetar o estojo vazio assim que o mesmo sair da câmara, mas o ferrolho ainda tem que recuar até alcançar a base da nova munição a ser carregada antes de poder ser levado para frente. Atiradores menos experientes em tiros com pressa podem iniciar o fechamento do ferrolho assim que perceberem a ejeção deixando de carregar uma nova munição.
  • Trancamento: alguns ferrolhos possuem sistema de trancamento que dispensa a rotação do ferrolho, desta forma é necessário apenas movimentar o ferrolho para trás e para frente, são conhecidos como ferrolhos de puxada direta. Outros ferrolhos possuem a cabeça cônica melhorando as características de fechamento da câmara e melhorando a precisão.
  • Carregamento: em alguns ferrolhos, o extrator se prende ao novo cartucho durante o fechamento, de forma que se por algum motivo o atirador interromper o fechamento e abrir de novo o ferrolho, o cartucho é ejetado e não ocorre falha no carregamento de um novo cartucho.

A ação Mauser é reconhecida mundialmente por sua confiabilidade para calibres pequenos, médios e grandes.Inicialmente as armas de repetição e semi automáticas utilizavam um carregador tubular. Os cartuchos são municiadas em um tubo normalmente abaixo do cano. Este desenho permite uma arma esguia, porém quanto mais curta a arma, menor é a capacidade do carregador.

Em seguida surgiram os carregadores verticais integrados a arma e posteriormente os carregadores verticais destacáveis e os do tipo tambor. É possível conduzir vários carregadores sobressalentes municiados que podem ser trocados com facilidade permitindo manter uma maior cadencia de tiro e maior volume de tiro em relação aos carregadores integrados ou fixos.

Armas semiautomáticas

As armas semiautomáticas utilizam, de forma direta ou indireta, a força de expansão dos gases para realizar as operações necessárias para o próximo disparo (destrancar, abrir, extrair, ejetar, engatilhar, carregar, fechar e trancar). Elas são  comercializadas em modelos esportivos, militar e policial. Muitos países não autorizam a entrada de armas semiautomáticas com aparência de armas de assalto para a atividade de caça.

As pistolas são exemplo de armas curtas semiautomáticas, o mecanismo é acionado pela ação direta dos gases no ferrolho. Os calibres mais potentes possuem sistemas de trancamento e destrancamento do cano ao ferrolho de forma que o cano fica solidário ao ferrolho no início do recuo – curto recuo do cano.

Normalmente as armas longas desviam uma parte dos gases no terço final do cano para acionar o mecanismo da arma. Algumas armas utilizam um êmbolo ou pistão para acionar o mecanismo e outras não. Quando for selecionar sua arma tenha em mente que quanto maior o número de peças móveis em contato com o cano, maior serão as variáveis que podem afetar a precisão de sua arma. Por outro lado o uso do pistão diminui a demanda de manutenção da arma.

  • Início
  • Classificação de armas quanto ao funcionamento

© CCTRB. All rights reserved. Powered by TDA Design.